★★★★
★★★
★★
★★★★★
★★★★
★★★★
★★★★

30 de julio de 2017

(Review 146) - Cuando me veas

Cuando me veas
Laura Gallego

Cross Books


Autoconclusivo

384 Páginas
 Suspense / Juvenil / Intriga 
Quem é e ou que é isso? Qual é a sua intenção? É uma ameaça desconhecida ou uma luz na escuridão? Será que tem algo a ver com o caso do "garoto do telhado"? Estranhos acontecimentos inexplicáveis. Um segredo. Uma morte repentina. Uma investigação. Descubra de uma vez o que há por trás de tudo isso.  

 Resenha:
Cuando me veas é o novo romance juvenil da celebrada autora espanhola Laura Gallego García. essa foi a minha primeira incursão nas novelas de Laura e, apesar de algumas pequenas falhas, me agradou.
Comecei esse livro totalmente à cegas, já que a sinopse não revela grande coisa. Fui muito mais movida pela curiosidade de ler algo de Laura e também pela confiança, afinal, essa é uma das novidades da Crossbooks, um selo editorial que sempre publica livros interessantes em idioma espanhol.

Primeiramente gostaria de esclarecer que mesmo o fato de não ter me convencido completamente não é por culpa do livro. Explico melhor: essa novela está claramente dirigida à um público etário específico, um grupo etário do qual já não faço parte. A narrativa infanto-juvenil de Cuando me veas, junto com os personagens bastante jovens (a protagonista tem apenas catorze anos de idade) me fez sentir a leitura um pouco difícil. Não consegui me identificar com nenhum dos personagens, todos me pareceram muito imaturos. A trama tem umas falhas impossíveis de passar despercebidas, e há fatos e atitudes nos personagens que, ao meu ver, não são críveis. Me custa crer que um policial dedicado e responsável realmente chegaria a compartilhar informação pessoal de uma investigação com adolescentes do jornal escolar ou pior, com uma garota misteriosa... Me custa crer que membros de gangues criminosas atuem de maneira ingênua diante de gente que nem conhecem... Em fim, há situações que são surreais. 

Mesmo assim, li esse livro em apenas 2 dias, o que só confirma que, apesar de tudo, a narrativa da autora prende, e deixa o leitor com curiosidade suficiente pra seguir lendo e desvendar o que está acontecendo. 
Não quero revelar muito sobre o enredo, falarei apenas sobre os personagens, pois quanto à trama tudo vai tão conectado que acho difícil revelar algo sem soltar nenhum spoiler indesejado.

Conheceremos aqui à dois amigas. Tina, uma imigrante colombiana de catorze anos, super protegida por sua mãe Camila, solitária, que está apaixonada por um garoto da escola, Rodrigo, quem resulta ser justamente colega de sua melhor amiga Salima, no jornal da escola. Salima é uma garota musulmana, muito alegre, doce e astuta, que sempre tem uma palavra para responder à qualquer coisa e que desde sempre tem sido a mão amiga para Tina. 
Quando ocorre um estranho fato, Tina encontra uma oportunidade para praticar justiça com as próprias mãos. Há tempos Tina vem observando como garotos maiores como Kevin Ramírez perturbam e praticam bullying com ela e outros colegas da escola. Com a oportunidade de finalmente vingar-se de Kevin e de outros valentões como ele, Tina acredita que está apenas castigando à esses garotos, como eles merecem... No entanto, nada é simples, e logo Tina se verá envolvida em uma rede de crimes e mentiras muito mais perigosa do que parecia em princípio.

Tina foi um personagem que, por muitos momentos, me fez sentir carinho... É uma garota meiga, cheia de princípios, solitária, lidando com um enorme complexo de inferioridade, se sente diminuída por sua mãe que diariamente a ofende com palavras duras, que a fazem sentir ser inferior ao que realmente é. No entanto, às vezes, Tina também me aborrecia. Excessivamente inocente, e bastante fofoqueira, às vezes age como uma stalker e suas atitudes se contradizem. 
Salima, pelo contrário, foi um personagem muito melhor trabalhado. Possuidora de um gênio forte, é leal, decidida e inteligente, o tipo de guria que é fácil de conquistar o leitor.
Temos também à muitos outros personagens secundários que, pouco à pouco, adquirem bastante importancia na trama já que a história retrata um tema bastante sério. Uma pena que a autora não tenha utilizado uma linguagem um pouco mais adulta, creio que o tema abordado assim o merecia...

Enquanto faço essa resenha não sei ainda dizer se gostei ou não do livro. Como disse, li rapidamente, em 2 dias... Mesmo assim, reconheço suas falhas e admito que houve momentos mais cansativos e previsíveis, especialmente perto dos capítulos finais...
Há um mistério proposto pela autora, e temos muitos suspeitos... No entanto, não sei porquê, a verdadeira identidade do suspeito já desvendei desde a metade do livro e me pareceu muito evidente.
Resumindo, Cuando me veas me deixou com sentimentos contraditórios. Por um lado gostei do que li... nos apresenta uma trama de mistério juvenil com um número certeiro de personagens, suficientes para manter sempre o suspense. Por outro lado, admito que está longe de ser um dos meus livros favoritos... a narrativa me pareceu infantilizada, as atitudes dos personagens são, às vezes, absurdas, e apesar de seu final original, foi uma leitura de altos e baixos. 

Imagen relacionada

Imagen relacionadaLaura Gallego García nasceu dia 11 de octubre de 1977 em Cuart de Poblet (Valencia). Aos onze anos começou a escrever con sua amiga Miriam o que sería sua primeira novela (sem ter sido publicada): Zodiaccía, un mundo diferente (disponível em sua página web). 
Aos 21 anos, quando estava estudando filología hispánica na Universidade de Valencia, escreveu o romance Finis Mundi, com o qual obteve o seu primeiro prêmio no concurso Barco De Vapor da editorial SM. Seu segundo premio no concurso Barco De Vapor ela conseguiu com sua outra novela La leyenda del Rey Errante. Com a editorial SM também publicou El coleccionista de relojes extraordinariosMemorias de IdhúnDonde los árboles cantanDos velas para el diablo, a saga Crónicas de la Torre e, com o sello Gran Angular publicou Las hijas de Tara
É fundadora de uma revista universitaria chamada Náyade, repartida trimestralmente na Facultad de Filología e foi co-diretora da mesma desde 1997 a 2010. 
Atualmente vive em Alboraya, um povoado perto de Valencia e realizou sua tese para o doutorado sobre o livro de caballerías Belianís de Grecia de Jerónimo Fernández, publicado em 1579; ela terminou a tese apenas em 2013, depois de varios anos se aprofundando no assunto.

Web oficial: http://www.lauragallego.com/

Twitter: Laura Gallego 


Beijokas...

Nos Lemos...


Alice

2 comentarios:

  1. Este comentario ha sido eliminado por el autor.

    ResponderEliminar
  2. Oiee..

    É difícil se identificar com personagens de faixa-etária muito diferente.
    Li Crepúsculo Reimaginado e já não senti a mesma empatia que senti quando li esse livro a primeira vez há muitos anos atrás.

    Amei a resenha!
    Um super beijo

    Livros em Contexto

    ResponderEliminar