★★★★
★★★
★★
★★★★★
★★★★
★★★★
★★★★

15 de agosto de 2016

(Review 88) - Pawn

18591477Pawn
Aimee Carter

Harlequin Teen
Livro 1/3 Saga Pawn
347 Páginas
Distopia / Romance / Juvenil
Goodreads /Amazon / Skoob  


Para leer en Español, haz click AQUI

VOCÊ PODE SER UM VII, SE RENUNCIAR À TUDO...

Para Kitty Doe parece uma decisão fácil. Pode passar o resto de sua vida como uma III na miséria, desprezada pelas castas mais altas, e forçada a abandonar à todos aqueles que ama, ou pode se transformar em uma VII e ser parte da família mais poderosa do país.

Se disser que sim, Kitty será "mascarada" - transformada cirurgicamente em Lila Hart, a sobrinha do Primeiro Ministro, que morreu em circunstâncias misteriosas. Como membro da família Hart, será famosa, será venerada e pela primeira vez será alguém.

Só há um porém...

Ela também deverá deter a rebelião que Lila promovia secretamente, a mesma que fez com que a matassem e na qual Kitty também acredita. Rodeada por ameaças, conspirações e uma vida que não é a sua, ela deverá aprender a ser algo mais do que um peão em um jogo distorcido que sequer consegue entender.


Distopias e fantasias são, sem dúvidas, meus dois gêneros favoritos. Me encanta toda essa mistura de ação, aventura e romance que estes dois gêneros geralmente possuem. E Pawn consegue entrar na minha lista de distopias que desfrutei muito ler.

PawnKitty Doe é um Extra. Os "Extra" são o segundo filho de um casal. Cada casal tem direito a ter apenas um filho. Se ainda assim ocorrer uma segunda gestação, o casal deverá pagar uma quota por esse filho extra que teve e a criança é enviada à um Orfanato, para viver com outras crianças. Se o casal não puder pagar esta taxa, o filho extra que teve é então enviado à um lugar longínquo, desconhecido e misterioso chamado "Outro Lugar", um território aonde todos os que foram jamais retornaram. A mesma situação ocorre com os maiores de 60 anos de idade, que por sua avançada idade já não podem contribuir para a sociedade, e também com as castas número 1, pessoas consideradas incapazes de produzir, com perfis classificados como criminosos ou afins. Ao completar 17 anos, todos os jovens são enviados para a prova. A prova classifica os jovens de acordo com o seu desempenho e, à partir disso, determina à que casta eles deverão pertencer. Embora seja uma garota preparada e inteligente, Kitty acaba não se saindo bem no seu teste e recebe um frustrante casta III como futuro. Ela deverá viver longe de seus amigos e de seu namorado, ser enviada para outra cidade para servir trabalhando nos esgotos do local. 
Devastada por essa nova condição, Kitty decide então aceitar a oferta de uma amiga e ir trabalhar em um bordel na cidade. Alí, por causa da cor de seus olhos, bastante incomum, Kitty recebe uma proposta tentadora, vinda diretamente do primeiro ministro Daxton Hart, o homem mais poderoso da nação. 
Kitty deverá se esquecer de seu passado, mudar seu nome e modificar alguns traços de seu rosto, tudo isso para tornar-se Lila Hart, a sobrinha do primeiro ministro.

"... Mas, o mundo está lá fora e eles entendem que toda a fantasia sobre ter o conhecimento e ter a liberdade não corresponde à realidade. Com o tempo as ilusões se desvanecem, e há aqueles que vão fazer tudo que for necessário para que isso suceda mais rápido do que nunca. "

Kitty na verdade nem tem muita opção: ou ela aceita a proposta do primeiro ministro, ou será enviada a "Outro Lugar". Encurralada e em parte também seduzida pela possibilidade de mudar de casta e se tornar um VII, a casta mais alta, Kitty acaba aceitando, sem saber exatamente em que consiste a sua missão.
Na verdade, a missão de Kitty é muito maior do que ela esperava já que além de viver na pele de Lila Hart, ela também deverá sufocar uma revolução que ameaça tomar toda a nação e da qual Lila era a grande porta voz. Kitty deverá aceitar as condições da família Hart, especialmente as da malévola Augusta, a líder do clã, e deverá casar-se com o antigo noivo da verdadeira Lila, Knox Creed.
Kitty logo se dá conta de que é uma pequena peça em um grande jogo de xadrez, cheio de conspirações e manipulação, sem saber quem é quem ou em quem deveria ela confiar e com as pessoas que ama morrendo por conta de suas decisões erradas.

Resumindo, essa é a premissa de Pawn, uma distopia gostosa de ler, que realmente prende o leitor, com uma narrativa bastante simples de entender e ao mesmo tempo envolvente.
Nesta primeira parte a autora nos imerge no mundo distorcido da família Hart e por muitos momentos o leitor consegue se colocar um pouco na pele de Kitty, sentindo uma mistura de compaixão e medo, tudo ao mesmo tempo.

26062700Em quanto aos personagens, temos Kitty, a protagonista, que apesar de eu ter gostado, ainda não consegue me convencer completamente. Me pareceu muito assustada com tudo e muito prudente para uma protagonista de distopia. Kitty do nada aceita fazer parte de um jogo que nem sabe exatamente até aonde vai e por muitos momentos parece que o que realmente lhe importa é apenas as vantagens que pode conseguir. Kitty é um personagem que não se importa em admitir ao leitor o quanto ela desfruta em ser uma VII, o quanto foi bom deixar a vida dura e o quanto muitas vezes ela conclui que ser Lila Hart ao final nem é tão ruim. Houveram momentos em que tudo isso me soava muito injusto, especialmente com relação ao seu namorado, Benjy. Por se tratar de uma trilogia, estou quase segura que veremos aqui mais um triângulo amoroso entre Kitty / Benjy / Knox.
Knox é o noivo de Lila Hart. Ele conhece a verdadeira identidade de Kitty e se apresenta como alguém disposto a ensinar Kitty como se comportar exatamente como Lila. Knox é um VI, um garoto privilegiado, filho de um ministro bastante influente, e que obviamente também oculta muitos segredos. Simpatizei bastante com Knox, esse é um personagem que me pareceu bastante carismático e interessante.
Além deste trio principal de personagens, também conheceremos Celia, a mãe de Lila, que para mim é um mistério e uma surpresa. Não sei dizer se terminei gostando dela ou se ainda não me caiu bem, creio que senti ambas as coisas em muitos momentos. E também vale destacar o personagem de Greyson, o filho o Primeiro Ministro, um garoto inteligente, calado e tímido que revela-se muito mais do que parecia e acredito pode alcançar bastante destaque nas continuações que seguem.

" O mundo não existe só porque você deu permissão. "

Apesar de Kitty não ser exatamente a minha protagonista feminina favorita pois me pareceu um pouquinho fraca, injusta e ambiciosa, a trama em si funciona bem e a autora demonstra segurança desenvolvendo cada personagem. Veremos se na continuação Kitty consegue me convencer pra valer...

Resumindo, Pawn é um princípio de saga que é bastante interessante e que me surpreendeu bem. Com uma escrita simples e envolvente, Aimee Carter nos imerge em um mundo de injustiças e conspirações. Um jogo de gato e rato, cheio de momentos duros e de perdas que deixarão o coração do leitor em pedaços durante muitos momentos.




Aimee Carter é uma escritora norte americana nascida em 1986. Aimee começou a sua carreira literária escrevendo fan fictions aos 11 anos de idade. Quatro anos depois escreveu a sua primeira história original. Em 2011 a Harlequin publicou a sua primera novela, The Goddess Test. The Goddess Test conta com 4 livros publicados e mais 3 histórias curtas. Pawn, sua série seguinte, é uma distopia que conta com 3 livros publicados também pela Harlequin. Atualmente, Aimee está promovendo sua terceira série juvenil, Simon Thorn, cujo primeiro livro Simon Thorn and the Wolf´s Den foi publicado em inglês em fevereiro de 2016.

Web Page Oficial: http://www.aimeecarter.com/

Twitter: Aimee Carter


Nos Lemos,


21 comentarios:

  1. Oi, Alice.
    Você sabe que eu não sou fã de distopias como você, mas eu ainda estou tentando e um dia chego lá. Acho que esse negócio de castas é meio batido já, mas gostei da premissa pela personagem principal assumir a identidade de outra pessoa.
    Vou tentar me arriscar por outros títulos por enquanto.
    Beijo, Leitora Encantada

    ResponderEliminar
  2. Oi, Alice! Como vai?
    Adorei demais essa resenha! Sério!
    Fiquei encantado com a Kitty, gostei muito da premissa de ela mudar de vida e ter que lidar com muitas responsabilidades e tudo o mais.
    Gostaria muito de ler este livro, mas uma pena que não tem em português ainda, livros em inglês são meio carinhos... kkkkk
    Adorei conhecer o blog!
    Abraços!!

    -Ricardo, Blog Lapso de Leitura

    ResponderEliminar
  3. O livro me parece incrível (e eu adoro trilogias porque acredito que elas têm a quantidade adequada de conteúdo), mas quando você menciona a possibilidade de um triângulo amoroso eu fico com um pé atrás porque não tenho muita paciência para esse tipo de coisa... De qualquer forma, não sendo o romance o foco, parece valer totalmente a pena ler!
    Beijos e até mais :*
    http://www.thesecretshoot.com/

    ResponderEliminar
  4. Oi, Alice! Tudo bem? Eu vi algum blog falando desse livro, mas agora não lembro qual foi. Mas enfim, acho a capa e a premissa de Pawn ótimas e tenho curiosidade de lê-lo. Adorei a resenha! <3

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  5. Oi Alice!
    Legal essa distopia, não conhecia, e tbm adoro o gênero! *-*
    Ótima resenha!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. Olá!
    Não conhecia esse livro. A proposta da sinopse é bem interessante. Ótima resenha.

    www.donadegato.com
    Beijos!

    ResponderEliminar
  7. Oi Alice!
    Não conhecia essa distopia, mas gostei de alguns elementos que ela aborda. Conforme fui lendo a sinopse, não esperava que houvesse uma revolução no meio. Confesso que isso me lembrou um pouco Jogos Vorazes, mas ainda assim acho que eu daria uma chance.
    Tomara que os próximos livros sejam bons como esse (e que a personagem conquiste mais você).
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Olá, Alice.
    Não conhecia a obra, mas a premissa me chamou a atenção. Essa ideia de ter apenas um filho é bem interessante.
    Contudo, fiquei um pouco desanimado pela protagonista não ser tão forte assim.
    Apesar disso, talvez eu dê uma chance.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de agosto. Serão dois vencedores e um deles levará um vale compras!

    ResponderEliminar
  9. Oi Alice, tudo bom? Achei essa capa linda <3 mas confesso que não gosto muito de distopias, acho que no momento eu não leria, mas vou por em minha lista para mais tarde hahaha Adorei sua resenha *_*

    Beijos
    https://resenhaatual.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  10. Olá, Alice.
    Eu amo uma boa distopia. As pessoas comentam como são parecidas, mas eu acho que é exatamente por isso que os fãs do gênero gostam. Achei essa premissa muito interessante e vou torcer para lançar aqui no Brasil.

    Blog Prefácio

    ResponderEliminar
  11. Oi Alice, sua linda, tudo bem?
    Eu não sabia que tinha essa linha Harlequin teen. Adoro distopia e achei essa diferente justamente por ela estar gostando da vida boa, nunca vi uma personagem assim nesse gênero. Pelo visto ela também não irá ganhar minha simpatia. E depois da propaganda, estou apaixonada pelo Knox, risos... Vamos disputá-lo. Fiquei com pena do namorado dela. Dica mais do que anotada, não vejo a hora de ler. Sua resenha ficou ótima!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  12. Oi Alice,
    Adoro distopias, ainda mais com uma pitadinha de romance ♥
    Achei a história muito interessante e me fez lembrar de vários livros, principalmente A Rainha Vermelha e A Joia. Já vou colocar na lista.
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderEliminar
  13. Olá,
    Gostei da premissa e apesar da sua opinião ter sido positiva percebi que você ainda não tinha sido completamente cativada pela obra. Eu leria se tivesse oportunidade, achei bem interessante.
    Beijos.
    Nasci Gabriela - www.nascigabriela.com.br

    ResponderEliminar
  14. Não conhecia esses livros, na vdd nem sabia que a Harlequin publicava livros teens, por isso é legal termos tantos blogs, pra conhecermos os lançamentos e tal...parabéns pela postagem

    Daily of Books

    ResponderEliminar
  15. Gostei da resenha Alice. Me pareceu ser uma distopia bem interessante e intrigante. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderEliminar
  16. MAS GENTE. Que sinopse é essa? ;O
    fiquei curiosíssima com esse lance de transformação pra se passar por outra pessoa. Lembra muito as teorias de conspiração que costumam fazer com os artistas, né?

    beijo
    beinghellz.com

    ResponderEliminar
  17. Oie,
    não conhecia o livro, adorei a sinopse, mas pela sua resenha acho que não vou curtir tanto a leitura

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderEliminar
  18. Oi, Alice!
    Gente, para o mundo que quero descer! Que sinopse foi essa, God!!! Tiro atrás de tiro.
    Já vou procurar porque necessito ler o mais rápido possível.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderEliminar
  19. Oi Alice, tudo bem?
    Eu não curto ler distopias, e por isso não me animei com a trilogia. Acho que nem tem no Brasil, ou estou enganada?
    Gostei da sua resenha e sempre é bom ter a oportunidade de conhecer novas histórias.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderEliminar
  20. Oi
    nem conhecia esse livro, mas chamou muito a minha atenção e até fiquei interessada, quem sabe se ele foi publicado no Brasil eu leia ele.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderEliminar